O meu primeiro contacto com…

… computadores já foi há bastantes anos. Algures em 1991 comecei a minha experiência informática, na biblioteca da escola. No tempo que eu ainda não tinha computador estas máquinas já me despertavam alguma curiosidade, afinal de contas eram muitas teclas para carregar, isto sem contar que o shift+control+alt+algumas duplicava as possibilidades.

Dois amigos meus frequentavam, após as aulas, uma actividade chamada de Projecto Minerva (Meios Informáticos no Ensino Racionalização Valorização Actualização). Promovido pelo Ministério da Educação em escolas do ensino básico e secundário, era o mais parecido que havia na altura aquilo que hoje conhecemos como TIC.
Aqui eles já tinham contacto com Windows 2.0, Lotus 1-2-3 e Microsoft Works. Tanto palavreado quando, para mim, DOS era a marca do computador!

No intervalo das aulas eu via-os sempre entretidos a falar sobre o projecto e a tecnologia. Tanto falavam nisso que acabei também por ficar contagiado pela “moda”. Já não fui a tempo de me inscrever no Minerva, mas nos feriados das aulas eu acabava por me juntar a eles lá na sala de informática. É lixado, mas quando se tem dois pés esquerdos e se é bonito e popular para caraças, não havia muito mais que se pudesse fazer naqueles intervalos.

Acabei por recorrer aos préstimos do Sr. do Círculo de Leitores que ocasionalmente passava lá por casa e comprei o meu primeiro livro de informática.

Inicialmente não consegui desenrascar-me muito bem com aquilo. Eram demais as palavras e termos que estava a ler pela primeira vez. Como não ter computador em casa também não ajudou, tive que pedir ajuda aos meus amigos. Nada melhor que dois professores particulares para me ajudar nestas lides!
A coisa correu bem e passados poucos dias já fazia format A: 🙂
Sim, já devem estar por esta altura a pensar no C: mas mesmo que me enganasse na letra da unidade, não havia problema… os pc’s não tinham disco interno!

Passei pela fase de aprender a copiar ficheiros e pastas, onde copiava tudo para a a mesma directoria e depois resmungava que os ficheiros não tinham ficado no sitio certo, aprendi a renomear pastas e a apaga-las. Então e quando descobri o comando deltree…. nem imaginam a minha cara de felicidade ^^
Bem, agora que penso nisso, acho que o êxtase foi mesmo quando descobri o comando CLS. Não ter que desligar o computador cada vez que queria apagar a confusão que ía no ecrã para voltar a ficar limpinho…. OK, podem gozar mas conheço quem tenha desligado só o ecrã para ver se limpava a coisa. Eu tinha empregue o meu primeiro workaround informático, e acreditem, até hoje já inventei mais uns quantos (vantagem de ser tuga!) 😀
Lá andei assim uns tempos a praticar comandos, esperar perceber como as coisas funcionavam e tentar ao máximo safar-me sozinho. Isto, enquanto nas máquinas ao lado via o pessoal agarrado ao Wings of Fury, Blues Brothers, Prince of Persia, Cisco Heat… Eu tinha decidido que primeiro queria aprender (claro está, para não estragar os jogos ou o computador). No pain no gain!

 


Computador Philips igual a alguns lá da sala e Prince of Persia em toda a sua glória CGA.



Diga-se de passagem que a aprendizagem não foi barata. Se somar ao valor do livro o balúrdio (1.000$00) que dei pela caixa de disquetes e o tempo de utilização dos computadores… Sim, lamentavelmente tinha que pagar 1$00 (um escudo) por cada minuto de utilização do computador na escola. Ao fim de uma semana com esse dinheiro já podia comprar a penthouse Hyper Disney.
Só um aparte, o investimento também foi proveitoso no sentido de me tornar um exímio jogador de Risk. Não que fosse para os computadores jogar, mas num recanto da biblioteca lá da escola era possível requisitar e jogar jogos de tabuleiro. Enquanto a malta esperava por vêz para utilização dos computadores reunia-se lá na mesa para umas conquistas. Com o passar do tempo os meus amigos fartos de perder decidiram mudar de jogo para o Master Mind. Foi a minha vez de conhecer o fracasso.

Voltando à tecnologia… os computadores lá do sítio eram grandes bombas, cada um melhor que o outro. Começando num 8086 com ecrã monocromático laranja, outros dois 8088 com ecrã CGA (aqui já podia jogar bem o Hang-On!). O melhorzinho era mesmo um 286 que lá estava com ecrã EGA. Bem, era realmente o melhor considerando que era o único que tinha disco rígido. Talvez por isso é que muito raramente tinha a oportunidade de lá meter as unhas, antes que o estragasse.

Entretanto aqui na terriola tinha aberto uma loja de informática (WOW!) que vendia computadores Schneider. Não perdi tempo e fui logo lá conhecer o sítio. Saí de lá com um desejo em mente:

Um computador que já tinha disco rígido e não precisava de disquetes para fazer o boot… awsome!
Com a chegada do Natal ainda tentei a sorte de escrever uma carta ao Pai Natal, mas não houve resposta. Deduzo que a prenda nesse ano também não tenha sido fabulástica senão com certeza recordaria-me… Bem, pelo menos não foram meias com raquetes, senão aí lembrava-me mesmo!

Nesse ano acabei por não ter os bytes no sapatinho como queria, mas também não me importar muito. Não muito longe tinha amigos com várias maquinetas onde passei algum tempo com eles. Timex 2048 e IBM PS/1 foram os que consumiram mais horas.

Passei mais uns anos a sonhar com um computador, ocasionalmente ia fazendo uns rabiscos de como idealizava que seria a torre, monitor e teclado e eu próprio a interagir com a máquina. O esperado aconteceu e, se a memória não me engana, foi em 1994 que tive o meu primeiro computador. Grande bomba:

486 DX2 @ 66Mhz
4MB RAM
FDD 1.44MB
HD 170MB
Placa Gráfica VESA LB Cirrus Logic 1MB
Monitor 14″ Sampo Alpha Scan Plus

Não me recordo do custo total do computador, mas sei que foi um grande investimento que os meus pais fizeram pois só o monitor custou 200 contos. Tanto dinheiro e nem sequer tinha placa de som ou CDROM…

Lembro-me que festejei bastante a chegada do PC, mas apenas por poucas horas. No mesmo dia em que recebi o PC, já depois de ter javardado alguns comandos no MSDOS 5 e rebentado umas minas no Minesweeper, lá me lembrei que seria boa ideia instalar um antivírus, não vá o diabo tecê-las. Ali á mão tinha uma disquete com o Vshield e o VírusScan 1.17 da McAfee que tinha copiado na escola. Disquete para dentro da drive e siga o install.exe…
É tão triste quando, numa questão de segundos, uma boa ideia passa a péssima ideia. No primeiro reboot que fiz: BOOT ERROR.
A minha disquete com o antivírus tinha um vírus… o FLIP. Irónico?

virus-gifs-1

Ainda tentei uma vez ou outra reanimar o bicho, como tinha ouvido dizer que em assuntos de informática bastava desligar e voltar a ligar para resolver muitos problemas. Este não foi o caso. Só me restou passar o resto da noite a ouvir o sermão do meu pai, apontando o brilhante trabalho que eu tinha feito, e esperar pelo dia seguinte para que um amigo viesse desenrascar.



E assim foi a minha introdução neste meio. Um pouco atribulada mas que deixa bastantes saudades.
Agora com licença que tenho que ir instalar um antivírus!

 

 

Intéh!

Advertisements

Posted on September 10, 2015, in Memórias, PC and tagged , , , . Bookmark the permalink. 2 Comments.

  1. Eu tambem tinha uma curiosidade enorme pelos computadores nos meus tempos de “puto ranhoso”…mas como ter um era a maior utopia que me podia passar pela cabeça (os meus pais não eram ricos…nem iam ao BES…) mas já me chegava ficar a ver o pessoal na escola a mexer naquilo…hoje é uma coisa banal…na altura era quase como ter acesso a coisas que só se viam nos filmes de ficção cientifica… a curiosidade era imensa…alguns colegas meus tiveram a sorte de ter um em casa o que me permitia “ficar informado” (isto porque á beira deles eu era um cego)…já era muito bom… Por acaso tive um Risk da saudosa Majora e a tampa era exctamente igual a essa da foto (as peças eram um pouco foleiras eram discos de plástico)…bom trabalho…continua a mandar as memórias cá para fora 🙂

    • É bem verdade… naquela altura comprar um computador era coisa de ricos. Eu bem que esperei para os meus pais me poderem comprar um. Claro que a principal desculpa para isso é que ajudava nos trabalhos da escola, mas isso é outra conversa 🙂

      abraço

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Old School Game Blog

Amiga enthusiasm, retro gaming passion

Mr Oliver.

Gaming, Music & Movies

Stuart Williams' MICRO MUSINGS

ramblings of a home computer hack

Retro Computing News

computer history, retro gaming and computing today

ancientelectronics

retro computing and gaming plus a little more

inmiracleworld

Ressuscitando o passado...

The Perfect Bit

O diário de um nerd (muito pouco) anónimo

BPMS Tutorials

Tutorials on the Best BPMS out there!!

Ainda sou do tempo

Ressuscitando o passado...

SHUGAMES !

Ressuscitando o passado...

Indie Retro News

Ressuscitando o passado...

Recuerdos de 8 Bits

Ressuscitando o passado...

Retroinvaders

Ressuscitando o passado...

Os Invasores

Ressuscitando o passado...

Arkade

Jogos, Tecnologia, Cultura e Revista Online de Games

GreenHillsZone

Colecção de videojogos - alguns "rants" e análises

Revista Digital de Videojogos PUSHSTART

A vossa revista digital de videojogos

oldgamesftw.wordpress.com/

Vencendo com games clássicos e atuais!

Gamer Caduco

Histórias de um gamer que está cada vez mais próximo de caducar de vez.

O Cantinho de Bia Chun Li

Ressuscitando o passado...

Sega-16

Ressuscitando o passado...

08tohkun

Ressuscitando o passado...

Santa Nostalgia

Ressuscitando o passado...

Infoconsolas

Ressuscitando o passado...

.::RetroPTgameR::.

Ressuscitando o passado...

Índios e Cowboys

Ressuscitando o passado...

QG Master

Ressuscitando o passado...

Vintage Computing and Gaming

Ressuscitando o passado...

Retro Video Gaming

Atari, Sega, Nintendo & Famicom reviews, videos, cover art and more!

Retro Games Collector

Ressuscitando o passado...

Retro Games Revival

Ressuscitando o passado...

ComuDoMega 13.8

Um Blog sobre o Mega e muito mais...

Game Over

Ressuscitando o passado...

elretroconsolero

Ressuscitando o passado...

Retro Megabit

Sharing My Retro Video Game Collection.

The Retroist

Retro Blog and Podcast

%d bloggers like this: