Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 7 – Frontend – config. Hyperspin)

arcade

Dois meses depois do último avanço na construção da arcade venho agora finalizar este projecto com a configuração do frontend (já era tempo!). Existem vários frontends que podem utilizar, eu escolhi o Hyperspin porque graficamente foi o que achei mais apelativo, embora tenha consciência que não é dos mais fáceis de configurar. Irei no entanto deixar-vos alguns que podem analisar para que possam fazer a vossa escolha.

Não esperem um completo how-to passo a passo do hyperspin porque já existem muitos na net, inclusive no fórum deles. Irei antes optar por um guia que irá compreender as configurações básicas e detalhar alguns dos problemas com que me deparei enquanto o configurava e como os resolvi, porque penso que vos será mais útil assim.



Frontend

Para poderem jogar nesta arcade necessitam de ter os jogos (roms) e os programas que lêm estes ficheiros (emuladores). Agora imaginem que querem jogar o Final Fight. Vão ter que largar o joystick, sacar do rato e teclado, navegar pelas janelas do windows e pastas de ficheiros e abrir o emulador e de seguida a rom. Nada prático numa arcade!
É aqui que entra o frontend ao servir de interface gráfico para lançar os jogos, utilizando os controlos da arcade, sem terem que fazer aquela logística toda. Dependendo do frontend escolhido, podem ter informação no ecrã alusiva ao jogo como por exemplo imagens e vídeos.

Existem muitos frontends disponíveis, uns mais completos que outros, uns pagos e outros nem por isso. Um bom ponto de partida para se escolher o frontend é esta grelha da BYOAC que faz alguma comparação entre eles. Deixo-vos agora imagens relativas ao interface de alguns mais utilizados.

Hyperspin

AtomicFE

MaLa

Maximus Arcade

 

Recentemente surgiu também um outro frontend com grande estilo. Chama-se New Retro Arcade e utiliza o ambiente gráfico Unreal Engine 4 para renderizar o ambiente:

Apesar de ser muito apelativo graficamente e criar um ambiente altamente imersivo, parece-me mais enquadrado para utilizar num computador pessoal do que numa máquina arcade, até porque controlar aquilo com joysticks e botões não deve ser nada prático.

Posto isto e como já chega de introduções, vamos lá então arrancar com o guia do hyperspin. Com este guia vão ficar a saber como configurar o hyperspin para lançar o emulador MAME e de seguida o jogo Street Fighter II’ – Champion Edition, incluído os temas e animações.



1. Requisitos
Para começar é necessário efectuar registo na página do hyperspin, para aceder aos downloads e também na página do EmuMovies para descarregarem os vídeos de intro para os jogos/sistemas. Aconselho a fazerem doação em ambos os sites para suportarem a continuação destas comunidades e também para poderem aceder aos servidores ftp onde têm imenso material para download (temas, imagens, videos HiRes, DB’s xml,…)

Download Hyperpsin 1.3
Download emulador MAME
Download rom Street Fighter II’ – Champion Edition

Os downloads acima apontam para as últimas versões das aplicações, tanto do frontend como do emulador. Eu utilizei uma versão inferior (1.2) do hyperspin na minha arcade e que tem funcionado sem problemas. Se quiserem utilizar esta versão,  saquem e instalem a versão 1.3 depois descompactem este ficheiro para a pasta de instalação, substituindo todos os ficheiros no destino.
O emulador mame de origem tem aqueles ecrãs de informação a alertar que devemos ter o jogo original antes de jogar e não tem opção de highscores ativa. Podem sacar a versão que utilizei do MAME 0.152 compilado sem aqueles ecrãs e com o highscores activos, na versões 32b e 64b.



2. Instalação
A instalação é fácil e não é preciso nenhuma ciência, basta descompactar o zip para dentro da pasta onde pretendem ter o hyperspin. Podem ver o meu último post desta série para mais informações.
Após descompactado devem ter a seguinte estrutura de pastas:

Eish… tanta pasta e ficheiros!
Calma… vou explicar para que servem as que nós vamos usar. As outras só porque não vou falar nelas não quer dizer que possam ser apagadas… provavelmente servem para alguma coisa mas para agora não interessa perder tempo nelas 🙂

Databases
É aqui dentro que vão estar os ficheiros xml que são as bases de dados dos roms para cada sistema e que vão permitir relacionar o nome da rom com o nome do jogo. Ex: sf2ce == “Street Fighter II’ – Champion Edition”

Emulators
Esta é obvia… pasta onde “podem” ser colocados os emuladores. Digo podem pois não é obrigatório. Se entenderem que devam estar noutra localização, depois é fácil configurar o acesso a eles.

Media
Esta pasta vai ficar bem grandinha depois do sistema estar todo configurado. Aqui é onde vão ficar todas as imagens relativas aos títulos dos sistemas e jogos, temas, vídeos, screenshots, fontes,…

Modules
O Hyperspin utiliza um módulo, o Hyperlaunch, que é responsável por lançar o emulador/rom com base na nossa selecção e sem requerer interacções com o utilizador. É nesta pasta que estão os scripts feitos no programa AutoHotKey que permitem ao Hyperlaunch abrir cada emulador carregando o script para utilizar parâmetros ou outras configurações necessárias ao emulador.

Settings
Os ficheiros ini dentro desta pasta contêm as configurações individuais para cada sistema a emular, que utilizem no Hyperspin.

HyperHQ.exe
O painel de controlo do Hyperspin. Aqui é onde são adicionados e configurados os sistemas, configuradas as artes e as demais funcionalidades do frontend.

Hyperlaunch.exe
Ver “Modules”, mais acima.

Hyperspin.exe
Ficheiro executável do frontend.

HyperTheme.exe
Utilitário para criar/editar temas de jogos e sistemas.



3. Configuração

3.1 Instalação MAME
Para começar vamos então criar uma pasta chamada MAME dentro da pasta dos emuladores, e descompactar para lá o ficheiro zip do emulador (ver ponto 1. Requisitos). Depois de descompactado executem o ficheiro mame.exe apenas para este criar a pasta “cfg” com as configurações padrão.

Pasta do MAME

De seguida vamos criar a pasta para os roms do MAME, algo do tipo: X:\ROMS\MAME e colocar lá dentro a rom que sacaram no link mais acima. Atenção: não mudem o nome ao ficheiro zip!

NOTA: De certeza que vos vai ser útil poderem testar configurações ao nível do MAME e mesmo alguns roms para verificar o seu funcionamento. Para não estar sempre a abrir o hyperspin para esta operação, podem executar logo o mame.exe, mas precisam primeiro de criar e editar o ficheiro de configuração deste: mame.ini.
Na linha de comandos, na pasta do mame, executem o seguinte comando:

mame.exe -cc

Dentro deste ficheiro ini podem alterar várias configurações ao emulador, para já a mais importante é definir a pasta dos roms na linha rompath.

Se repararem a rom não tem o nome completo do jogo, em vez disso tem uma sigla que é a sua abreviatura. Esta abreviatura é importante pois é com base no nome exacto da rom que depois vamos renomear todos os ficheiros de imagens, animações, videos e temas a colocar nas respectivas pastas do hyperspin.
Mas onde é que é feita a associação do ficheiro rom ao nome do jogo? Simples, na base de dados XML de cada sistema, que se encontra em \hyperspin\databases

Neste caso em particular em \hyperspin\databases\mame\mame.xml encontramos a entrada para o Street Fighter:

Onde diz “<game name=” é que está definido o nome da rom que depois o MAME vai carregar quando seleccionamos o jogo no hyperspin. Enquanto fazem a pesquisa por esta entrada vão encontrar nomes semelhantes de roms, do tipo sf2ceea, sf2ceuc, sf2ceja. Isto é natural pois tratam-se de clones do jogo original que foram lançados com alterações ao jogo em si. Aconselho o uso do Notepad++ para trabalharem com estes xml’s.

Posto isto, já podemos testar o emulador para ver se carrega a rom e esta funciona:

Yap.. está a funcionar! Back to hyperspin…



3.2 Configuração no hyperspin (wheel MAME)
Wheel? Sim. Se repararem no vídeo do hyperspin, tudo funciona com base numa estrutura de rodas (wheels) e sub-rodas. No topo da raíz temos as wheels para os sistemas (Mame, Master System, Amiga PSX,…) e dentro de cada uma dessas temas as wheels com os jogos. Adiante…

Ao abrirem o HyperHQ, no separador “Wheel Settings”, vão ver algumas que já vêm criadas de origem:

Wheels dos sistemas

Mais acima nesta lista está a entrada para o MAME, que vamos utilizar. Mas, caso não existisse e fosse necessário criar uma wheel nova ou mesmo apagar uma existente, essa operação é feita no separador “Main Menu Wizard”:

Para criar uma wheel nova carregamos no + a verde:

No próximo ecrã temos que escolher entre um menu com sub wheel ou um menu para um executável. Escolhemos a primeira opção se quisermos criar uma entrada para um novo emulador onde depois dentro dessa wheel temos outra com os jogos. A segunda opção funciona como um atalho para um executável. No meu caso, utilizei esta opção apenas uma vez, para criar uma entrada para o ficheiro exe do jogo PinbalFX2.

O passo a seguir pede-vos para posicionar esse novo menu antes ou depois de um já existe. No fim, se tudo correr bem, vão ficar com a seguinte configuração:

Listagem de wheels do menu principal

\hyperspin\databases

\hyperspin\media

\hyperspin\settings

Como podem ver, o hyperspin criou automaticamente as pastas e ficheiros necessários para o funcionamento desta nova wheel. Este desvio do tutorial foi só para dar a conhecer como adicionar sistemas ao hyperspin. Vamos então continuar e voltando ao HyperHQ > Wheel Settings, e vamos escolher o MAME.

No separador “Emulator” vamos definir os caminhos para o emulador e para os roms, vamos indicar que o mame.exe é executado através do HyperLaunch e indicar a extensão dos roms, conforme imagem acima.

NOTA: No caso de um emulador (para outro sistema) que não consigam executar através do HyperLaunch, devem indicar o modo de execução como “Normal”. Depois, definir o caminho para o executável do emulador e no campo “Parameters” indicar os necessários ao emulador para este funcionar.

De seguida, no menu “Navigation/Themes” vamos configurar as opções abaixo:

Aqui basicamente configuramos que os clones/bootlegs vão utilizar os mesmos ficheiros de média que os jogos originais e restringimos a lista de jogos a apresentar no menu, para aqueles que efectivamente têm a rom. Aconselho esta última opção pois se a vossa base de dados xml conter todos os roms (incluindo bootlegs) para o mame este número pode passar dos 30000 títulos. Se apenas tiverem 100 roms na pasta, o hyperspin vai á mesma carregar todos os nomes e vai ser difícil vocês encontrarem no meio da lista os jogos que têm.

Por último, indicar a o caminho para a pasta média. Por defeito está dentro da pasta do Hyperspin.

Se tudo correr bem:


Hyperspin configurado e a arrancar com o MAME. Agora falta adicionar as imagens, vídeos e temas 🙂



3.3 Adição de imagens, sons, vídeos e temas
As quatro imagens que coloquei acima mostram os vários ecrãs do hyperspin com os gráficos padrão, isto é, sem temas aplicados quer ao próprio sistema MAME quer ao jogo em si e falta também o vídeo de preview do jogo em questão. Felizmente como hyperspin permite uma grande flexibilidade de personalizações, vamos lá então melhorar o aspecto da coisa.

Começando pelos temas dos jogos, vamos lá então olhar para a estrutura da pasta \hyperspin\media\mame:

Mais uma vez… tanta pasta! Sim, é verdade, mas depois de saber-mos a finalidade de cada uma delas, já não vão parecer um bicho de sete cabeças!

\images\Artwork(1 até4)
Aqui é onde são colocadas as imagens que podem ser animadas através do hyperspin cada vez que a selecção do jogo alterna. Exemplos podem ser screenshots do jogo, sprites, box art,…

\images\backgrounds
As imagens dentro desta pasta servirão como fundos para o sistema em questão, podendo ser mostradas aleatoriamente.

\images\genre
Aqui é onde colocam as imagens que dizem respeito ao género de jogo que querem filtrar no hyperspin. Ex: Fighter Games.png

\images\letters
Aqui colocam as imagens individuais respeitantes a cada letra, algarismo e símbolo que vão formar o tipo de letra a apresentar neste sistema.

\images\other
Quanto a esta pasta apenas sei que é aqui que se coloca a imagem do cursor para seleccionar o jogo (Pointer.png) desconheço as outras funcionalidades desta pasta.

\images\special
Por defeito nesta pasta já vêm algumas imagens que indicam qual o género de jogo que temos filtrado, que o hyperspin mostra a cada X segundos. (não é obrigatório utilizar este tipo de informação)

\images\wheel
Aqui é onde colocam as imagens com os logos/títulos dos jogos. Muito importante ter em atenção que os nomes dos ficheiros de imagens tem que ser igual aos nomes das roms, que por sua vez são os que estão definidos na db xml. Exemplo do logo do Street fighter: sf2ce.png

\sound
Nesta pasta é onde vão colocar os ficheiros mp3 com os sons que ouvimos quando entramos/abandonamos o sistema, a seleção de jogo muda ou quando entramos num jogo.

\themes
Aqui é onde está o tema padrão do sistema, default.zip, e onde são colocados os temas dos jogos. No site do hyperspin e no ftp deles estão bastantes temas que podem descarregar. Se tiverem uma veia artística, também podem utilizar o utilitário HyperTheme e criar os temas a vosso gosto. Deixo também o aviso que os temas respeitam a mesma nomenclatura das imagens e roms. Têm que estar em formato zip e o nome deste arquivo tem que coincidir com o nome da rom/imagem/xml…

\videos
Por último, nesta pasta é onde colocam os vídeos de cada jogo. Podem estar em .mp4 ou .flv, têm é que obedecer à mesma regra do nome do ficheiro, conforme falei anteriormente.

 

Agora que já conhecem a estrutura de ficheiros da pasta média, façam o download deste ficheiro: Hyperspin-MAME-sf2ce_theme.rar
Trata-se de uma compilação que fiz de alguns backgrounds, letters e o tema com vídeo para o Street Fighter CE. Descompactem para \hyperspin\media\mame substituindo todos os ficheiros no destino.

Se tudo correr bem até aqui, ao abrirem o hyperspin e escolherem o MAMe, o ecrã que vos aparece já está diferente das imagens no ponto anterior:

Hyperspin-SF2-theme

OK, é verdade que o tema deste jogo não nada por aí além. Podia ter escolhido um mais completo a nível de gráficos e animações, como por exemplo o do Metal Slug, mas como toda a temática deste guia assenta no Street Fighter, nada melhor que escolher este tema 🙂

Continuando…

Agora que já temos o tema para o jogo, também podemos melhorar um pouco a apresentação sistema (MAME), aplicando-lhe também um tema.
A estrutura de pastas deste é semelhante à dos jogos:

\Media\Main Menu\Images\Backgrounds
Imagens que são utilizadas como fundos na transição entre sistemas, ou como fundos nos sistemas que não têm temas definidos.

\Media\Main Menu\Images\Other
Como expliquei mais acima, tirando o facto de se colocar aqui a imagem do cursor, desconheço outra utilização para esta pasta.

\Media\Main Menu\Images\Wheel
Aqui, à semelhança com os jogos, colocam as imagens com os logos/nomes dos sistemas a apresentar. Importante: Também o nome do ficheiro tem que ser igual ao nome da wheel criada no HyperHQ que por sua vez também é igual ao nome do ficheiro .ini na pasta \settings.

\Media\Main Menu\Sound
Pasta que contém os mp3 para transições entre sistemas e efeitos sonoros no sistema em exibição no menu.

\Media\Main Menu\Themes
Nesta pasta é onde colocam os ficheiros zip com os temas dos sistemas. Também aqui o nome do ficheiro tem que respeitar a regra anterior.

Posto isto, mais um download a fazer: Hyperspin-Main-Menu.rar
Neste ficheiro está um tema modificado para o MAME. Descompactem para \media\Main Menu\ substituindo todos os ficheiros no destino.

Mais uma vez, devem agora ter este aspecto quando seleccionam o MAME (Arcade Classics):

hyperspin-arcade-classics



3.4 Configuração do emulador
Agora que a configuração da parte gráfica está concluída falta-nos apenas fazer algumas configurações finais no próprio emulador MAME como por exemplo os controles e as definições de visualização.

Para configurar os controlos vamos até à pasta \emulators\mame\ e abrimos o ficheiro mame.exe. De seguida escolhemos a opção “Configure General Inputs”:

Aqui vamos configurar o “User Interface” e os botões de jogo para cada jogador.  O que nos leva a outra questão… supostamente no 6ª parte deste guia deveria ter explicado como configurar os botões no mini-PAC… deve-me ter passado ao lado essa questão pois esqueci-me :/

Como mais vale tarde que nunca, aqui vai:



3.4.1 Configuração dos botões do CP

Para começar, efectuem a ligação dos microswitchs dos botões ao mini-PAC, seguindo o esquema de cores para facilitar:

Pronto. Agora que os botões estão ligados toca a jogar, certo? …errado! Os botões estão ligados mas e saber a que teclas correspondem? Fácil. Instalem o Passmark Keyboard Test. Pode ser mesmo a  versão trial de 30 dias porque não vão precisar dele mais do que 15 minutos.

Depois de instalado, executem-no e liguem o cabo usb que vai do mini-PAC ao PC. Agora pressionem os botões do painel de controlo e alternem as posições do joystick.

Na aplicação vão reparar que o botão que estão a carregar em determinado momento, vai corresponder à determinada tecla no teclado e fica assinalada a vermelho. Assim já podem fazer um mapa das actuais teclas que tenham configuradas.

Se vos acontecer o mesmo que aconteceu a mim, vão notar que têm atribuídas teclas do sistema, como por exemplo o tab, shift, alt, control e tecla do windows. Temos que alterar estas teclas para que os emuladores funcionem sem problemas. Como?

Descarreguem o utilitário de programação das teclas: WinIPAC.

Embora não necessário, no WinIPAC podem organizar os botões para coincidir com o layout do vosso CP. Mas, o mais importante é a tabela com o mapeamento das teclas:

É aqui que podem alterar as teclas que necessitam, bastando para isso identificar a célula com a tecla a alterar e depois no teclado premir a nova tecla que pretendem mapear. No fim façam o flash da nova configuração para o mini-PAC e salvem o ficheiro com as definições pois pode ser útil no futuro para alterar configurações ou precisarem de substituir o mini-IPAC.

Podem ler mais sobre a utilização do WinIPAC aqui.

Configuração do emulador (continuação)
Continuando…. após configurar os botões para o jogador 1 e 2, conforme o mapeamento que fizeram anteriormente, é necessário também configurar os “Other Controls”. Aqui essencialmente só precisam de configurar as entradas: Player 1 start, Player 2 start, Coin 1 e Coin 2.

Ajustes às definições
No que diz respeito ao desempenho, podemos fazer alguns ajustes no ficheiro mame.ini para melhorar a performance deste emulador. Deixo aqui algumas que utilizei. Basta procurarem no mame.ini pela entrada e alterar os valores de acordo com as linhas seguintes, ou adicionar caso não existam:

triplebuffer 0
hwstretch 0
filter 0
priority 1
multithreading 1

Recomendo a fazer a instalação e configurações acima noutro computador, diferente do que vão utilizar na arcade. O mapeamento de teclas feito ao mini-PAC servirá para todos os emuladores e para o próprio frontend. tenham isso em consideração quando definirem teclas para o save/load state, escape, enter…



3.5 Configurações (gerais) Hyperspin
Por último vamos configurar algumas opções no modo de funcionamento do Hyperspin. Começamos por ativar a visualização para fullscreen:

De seguida configuramos o Attract Mode. Isto é a forma como o hyperspin “chama” a atenção ao jogador. O frontend vai fazer a wheel rodar e parará aleatoriamente num sistema/jogo durante uns segundos e depois volta a rodar.

Por último vamos configurar o hyperspin de modo a que quando abandonamos o frontend, este desligue o computador:

E com isto concluímos a configuração deste sistema, tanto a nível de emulador como a nível do próprio frontend. Com estes passos todos ficaram a saber como adicionar uma entrada ao menu (Wheel), definir o emulador a utilizar, colocar a rom e os ficheiros de média nas pastas correspondentes, renomear os ficheiros conforme a definição da base de dados xml e configurar o emulador.
Se pretenderem adicionar outros sistemas à vossa arcade, é só seguir os passos acima, variando apenas os caminhos e os nomes dos ficheiros.



3.6 Truques & dicas
3.6.1 Remapear teclas e terminar processos

Uma das dificuldades com que me deparei enquanto adicionava sistemas ao meu setup foi que algumas das teclas que defini não funcionavam em todos os emuladores, principalmente as do save/load state. Como nos próprios emuladores não era possível definir outras teclas para esse fim, tive que arranjar forma de as mapear para outras.
Recorri assim ao AutoHotKey e criei um script para me mapear as teclas:

remapkeys.ahk
F5::F7
F6::F2

O que este script faz é trocar as teclas, assim quando, por exemplo, eu carrego no botão F5 na realidade a tecla a ser premida vai ser o F7. Podem testar isso com o Passmark Keyboard Test. No fim do script feito, converti para exe com o AutoHotKey.

Este problema ficou resolvido, mas originou-me outro: Precisava de correr o ficheiro remapkeys.exe antes do emulador e também terminar o processo deste em memória, quando abandonasse o emulador.
Para resolver esta situação, tive que criar um ficheiro batch que recebesse como parâmetro de entrada o nome da rom, corresse o remapkeys.exe, lançasse o emulador e após o fim deste terminasse o processo. Exemplo:

launch.cmd:
@echo off
set arg1=%1
x:
cd\”hyperspin\emulators\Playstation 2″
start allinone.exe
start remapkeys.exe
pcsx2-r5875.exe %arg1%

Se repararem, a string %arg1% é que vai guardar o valor (caminho\nome) da rom a carregar. Neste batch está também o ficheiro allinone.exe que foi um utilitário desenvolvido por nuestros hermanos que, entre outras funcionalidades, permite terminar vários processos em memória com o pressionar de uma tecla (também configurável). Vendo o ficheiro ini de configuração do Allinone:

É possível  ver que a tecla definida para terminar os processos é o Escape e os processos a terminar são o emulador ps2, de seguida o remapkeys.exe e no fim o próprio allinone.exe.

Por último, no HyperHQ tive que alterar o modo de execução deste emulador alternando do “Hyperlaunch” para “Normal”.

Podem descarregar aqui o Allinone 1.84 e a respectiva documentação.



3.6.2 Daemon Tools
Alguns sistemas como por exemplo a PS2, Saturn, Dreamcast.. os emuladores que utilizei para eles não liam os ficheiros ISO das roms directamente, precisava de os montar numa drive virtual.
Para isso instalei o Daemon Tools na raíz do disco C (C:\DTools) e criei um ficheiro batch que me permitisse receber como parâmetro de entrada o nome da ROM, depois arrancasse com  o Daemontools para montar a imagem, de seguida iniciar o emulador e por fim desmontar o ficheiro iso. Aqui fica o exemplo da Sega Saturn:

@echo off
set arg1=%1
C:
CD\dtools
dTlite.exe -mount SCSI,0,%arg1%
x:
cd\”hyperspin\emulators\Sega Saturn”
ssf.exe
C:
CD\dtools
dTlite.exe -unmount_all
exit

A negrito estão os comandos para montar e desmontar o iso com o Daemon Tools.



3.6.3 Nomes de ficheiros
Houve sistemas em que não estava a conseguir montar a imagem iso ou a carregar a rom porque o ficheiro continha espaços no seu nome. Foi uma resolução trabalhosa e demorada, mas tive que remover os espaços no nome de todos os ficheiros e depois alterar o xml correspondente também para remover os espaços e por fim renomear os ficheiros de imagens/vídeos/temas também de acordo…. foram noites a renomear ficheiros… :/



3.6.4 Cópias de segurança
Façam-nas!!! Não dos ficheiros rom porque facilmente se descarregam de um qualqer site, mas do Hyperspin e dos emuladores. Quando acabarem as configurações vão ver que perderam dezenas de horas a afinar tudo e de certeza que não querem ver esse trabalho a ir para o lixo se entretanto o disco rígido morrer…



3.6.5 Experiências e upgrades
Não os façam no disco que está a trabalhar na máquina…. optem por ter um disco suplente com um clone do que têm em “produção” para poderem testar a adição de novos sistemas ou actualizar emuladores. Isto para não correrem o risco de estragarem as configurações e de vos aparecer malta em casa para jogar e depois, como diz o outro, “ficam agarrados ao pau!”



3.6.6 Insert Coin
É muito porreiro a cena de meter a moeda no moedeiro, ouvir o som dela a caír em cima das outras no cofre e o crédito a contar. Sim, é. Mas apenas nos primeiros dias.
Quando tiverem que ter um saco de moedas á mão para poderem fazer aquela jogatina que vai pela noite dentro, ou então, quando estiverem naquele frenesim de meter moedas porque o Metal Slug 3 é para Homens exigente demais, a vossa paciência palheta do sensor no moedeiro não vai aguentar muito tempo… Sugiro que configurem uma tecla alternativa no CP para inserir moeda… até pode ser por intermédio da função de shift do mini-PAC.



3.6.7 Conforto
Não tem nada a haver com o hyperspin ou com emuladores, mas:

Façam a vocês próprios o favor de pelo menos gastarem 30€ numa cadeira do IKEA para poderem jogar sentados.

 

E com isto termino este guia, até porque entretanto devo estar a receber um alerta do WordPress a alertar para o número máximo de palavras num post 😀
Este guia/tutorial deu-me bastante trabalho gozo a fazer assim como a própria construção em si, já que era um desejo desde puto de ter uma máquina de jogos em casa. Espero que tenha sido fácil de compreender e simples o bastante para executar. Espero também que quem esteja a meter mãos na massa, consiga terminar o projecto. Vão aparecer alturas mais chatas e propícias a desânimo (na parte das madeiras ou pintura) mas é como tudo… á medida que o projecto avança vão gostar de ir vendo a evolução.

Ando a pensar em fazer umas actualizações ao meu sistema, como a adição de mais emuladores e configuração de lightguns por isso… “Não percam o próximo episódeo que nós também não!” (lá mais para a frente é claro!)

 

Intéh!

 

 

Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 1 – Material)
Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 2 – Planos)
Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 3 – montagem da estrutura)
Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 4 – Pintura e acabamentos)
Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 5 – Montagem de componentes)
Projecto: Arcade Street Fighter (Parte 6 – Preparação do PC)

Advertisements

Posted on June 25, 2015, in Arcade, DIY and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. 2 Comments.

  1. ToZe(Ex-Touareg)

    O Hyperspin é visualmente muito agradável, mas gostaria mais que houvesse uma coisa Plug N Play. Já experimentei um ou outro interface gráfico para o Mame (GameEX, etc) no entanto são todos um tanto pouco intuitivos de configurar …

    • Todos dão trabalho a configurar, e o Hyperspin está lá no topo, mas também só precisas de configurar uma vez… não é para andar sempre a mecher.

      Se não queres trabalho, mete o mameui que chega-te 😛

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Old School Game Blog

Amiga enthusiasm, retro gaming passion

Mr Oliver.

Gaming, Music & Movies

Stuart Williams' MICRO MUSINGS

ramblings of a home computer hack

Retro Computing News

computer history, retro gaming and computing today

ancientelectronics

retro computing and gaming plus a little more

inmiracleworld

Ressuscitando o passado...

The Perfect Bit

O diário de um nerd (muito pouco) anónimo

BPMS Tutorials

Tutorials on the Best BPMS out there!!

Ainda sou do tempo

Ressuscitando o passado...

SHUGAMES !

Ressuscitando o passado...

Indie Retro News

Ressuscitando o passado...

Recuerdos de 8 Bits

Ressuscitando o passado...

Retroinvaders

Ressuscitando o passado...

Os Invasores

Ressuscitando o passado...

Arkade

Jogos, Tecnologia, Cultura e Revista Online de Games

GreenHillsZone

Colecção de videojogos - alguns "rants" e análises

Revista Digital de Videojogos PUSHSTART

A vossa revista digital de videojogos

oldgamesftw.wordpress.com/

Vencendo com games clássicos e atuais!

Gamer Caduco

Histórias de um gamer que está cada vez mais próximo de caducar de vez.

O Cantinho de Bia Chun Li

Ressuscitando o passado...

Sega-16

Ressuscitando o passado...

08tohkun

Ressuscitando o passado...

Santa Nostalgia

Ressuscitando o passado...

Infoconsolas

Ressuscitando o passado...

.::RetroPTgameR::.

Ressuscitando o passado...

Índios e Cowboys

Ressuscitando o passado...

QG Master

Ressuscitando o passado...

Vintage Computing and Gaming

Ressuscitando o passado...

Retro Video Gaming

Atari, Sega, Nintendo & Famicom reviews, videos, cover art and more!

Retro Games Collector

Ressuscitando o passado...

Retro Games Revival

Ressuscitando o passado...

ComuDoMega 13.8

Um Blog sobre o Mega e muito mais...

Game Over

Ressuscitando o passado...

elretroconsolero

Ressuscitando o passado...

Retro Megabit

Sharing My Retro Video Game Collection.

The Retroist

Retro Blog and Podcast

%d bloggers like this: